Em 2018, o evento será realizado pela primeira vez em São Paulo, de 24 a 26 de abril, em um dos mais modernos pavilhões de exposições do país.

A edição 2016 da LAAD Security – Feira Internacional de Segurança Pública e Corporativa recebeu entre os dias 12 e 14 de abril, mais de 8.450 mil profissionais do Brasil e da América Latina, no Rio de Janeiro, para discutir as principais tendências, fomentar o intercâmbio de tecnologias e incentivar a integração entre segurança pública e segurança privada. Além da feira, o evento promoveu o Programa de Delegações Oficiais, que recebeu 14 autoridades de oito países da América Latina; o Programa VIP, que colocou frente a frente empresas expositoras e os principais compradores dos setores segurança pública e corporativa e o V Seminário de Segurança LAAD. Em 2018, a LAAD Security será realizada, pela primeira vez, em São Paulo (SP).

“A LAAD 2016, segundo os expositores, atingiu os seus principais objetivos, confirmando a qualidade do evento. A feira contou com expressiva presença de autoridades e delegados oficiais de oito países. Para um ano desafiador, ficamos positivamente surpresos com o volume e qualificação do público visitante. Os temas debatidos no seminário estavam bastante alinhados com o momento do País e superaram as expectativas dos congressistas”, diz Sergio Jardim, diretor geral da Clarion Events Brasil, organizadora da LAAD Security.

O evento, já na sua solenidade de abertura, serviu de palco para o anúncio exclusivo de uma importante iniciativa do setor. O presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança – ABIMDE, Frederico Aguiar, apresentou aos mais de 350 presentes o “Pacto pela Vida”, em parceria com o Ministério da Defesa. A iniciativa, que pretende criar um fórum permanente de discussão entre governo, indústria e sociedade civil, tem como objetivo unir forças em âmbito nacional para discussão, formulação e aperfeiçoamento de políticas públicas de incentivo às empresas locais e de redução da assimetria econômica em relação à indústria estrangeira. “Existe muita demanda no Brasil por tecnologia de segurança de ponta, mas, quando a polícia precisa de algum novo equipamento com rapidez, recorre a empresas estrangeiras. Os produtos brasileiros custam cerca de 40% a mais que os estrangeiros, por causa da carga tributária”, explicou Aguiar.

A secretária-geral da Secretaria de Produtos da Defesa (Seprod) do Ministério da Defesa, Perpétua Almeida, também defendeu na LAAD Security a importância de se incentivar que os agentes de segurança nacional comprem mais da indústria brasileira e anunciou que a Seprod está articulando a criação de um grupo de trabalho para discutir importação e exportação do setor, do qual participarão diversos órgãos, como o Ministério da Justiça, o Ministério do Desenvolvimento e Comércio Exterior e o Ministério da Ciência e Tecnologia, junto da Finep. “A ideia é fazer com que todo o estado fale o mesmo idioma. Quando se incentiva a indústria de defesa e de segurança, se incentiva também a pesquisa em alta tecnologia. E isso não pode ser função só do Ministério da Defesa”, argumentou.

A LAAD Security tem o apoio de órgãos governamentais como o Ministério da Justiça e a Polícia Federal. A exemplo das edições anteriores, o evento contou, ainda, com uma série de reuniões dos principais colegiados de segurança pública do país: Conselho Nacional de Comandantes Gerais das Polícias Militares e dos Corpos de Bombeiros Militares do Brasil (CNCG-PM/CBM), Conselho Nacional de Chefes de Polícia Civil (CONCPC), Colégio Nacional de Secretários de Segurança Pública (CONSESP), Conselho Nacional dos Corpos de Bombeiros Militares do Brasil (LIGABOM), Conselho Nacional de Perícia Criminal (Perícia Criminal), e Departamento da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

No evento, o Conselho Nacional de Perícia Criminal foi representado pela sua presidente, a Dra. Rejane da Silva Sena Barcelos. Para ela, a oportunidade de contatos e troca de experiências que o evento proporciona ajuda a minimizar a distância e a diversidade que existe entre as polícias no Brasil, especialmente pelo fato de cada Estado ter uma realidade. “A perícia criminal nacional tem crescido muito graças ao apoio da Secretaria Nacional de Segurança Pública e da LAAD Security. Desde 2011 eu participo das reuniões que acontecem nas LAADs e o crescimento é inigualável”, frisou.

Exposição – Nos três dias de evento cerca de 100 marcas nacionais e internacionais, que fornecem tecnologias, equipamentos e serviços para Segurança Pública, Forças Policiais, Forças Especiais, Forças Armadas, Law Enforcement, Homeland Security e gestão de segurança de grandes corporações, concessionárias de serviços e infraestrutura crítica do Brasil e América Latina, estavam no evento. Elas apresentaram ao público soluções em autenticação, controle de acesso e vigilância; emergência, salvamento e resgate; equipamentos pessoais e táticos; cyber security; ópticos e optrônicos; munição e armamento; perícia criminal e forense; transmissão e comunicação; veículos; entre outras.

No estande da Hytera, por exemplo, foi possível conhecer e experimentar em tempo real o funcionamento do Hytera Smart Dispatch, sistema de gestão de frota que permite o gerenciamento de todos os rádios de uma empresa. O software aceita qualquer rádio com padrão DNP e permite o monitoramento das rotas e conversas executadas pelo equipamento. Lançamento da empresa no evento, o rádio Hytera 21P também está disponível para demonstração. O equipamento traz como vantagem o tamanho mais fino em relação a outros do mercado e pode ser usado, entre outras aplicações, em policiamento ostensivo e também velado. Para o vice-presidente da Hytera Brasil, Ricardo Bovo, a LAAD é uma excelente oportunidade de colocar os clientes em contato com os produtos da empresa. “Essa é uma feira em que mostramos o que podemos oferecer aos clientes. Temos muitas forças interessadas em soluções de comunicação e podemos atender a todos os tipos de orçamento”, afirmou Bovo.

A japonesa NEC Corporation, que participou pela primeira vez da feira, foi uma das que se especializou em monitoramento e segurança virtual. Seu programa de reconhecimento facial é considerado o melhor do mundo pelo instituto americano National Institute of Standards and Technology (Nist) e está integrado a um sistema desenvolvido pela empresa que permite o monitoramento de toda a internet, incluindo a Dark Web, e o rápido cruzamento de dados para localizar possíveis criminosos e ameaças em tempo real. “Nosso objetivo é ajudar a comunidade local e os agentes responsáveis por garantir a segurança no país. Muitas agências têm grandes bases de dados e não sabem o que fazer com eles”, explicou o diretor da Divisão de Estratégia em Segurança Cibernética da NEC, Seiji Tokunaga.

Já a Unisys apresentou na LAAD Security suas soluções para prevenção de ataques virtuais. A empresa lançou na feira uma nova tecnologia de proteção de dados: a técnica de micro segmentação, que permite isolar sistemas e criar perímetros de segurança para minimizar perdas financeiras causadas por ataques cibernéticos ou vazamento de dados. Para o responsável por Práticas de Segurança da Unisys para a América Latina, Leonardo Carissimi, o País precisa estar preparado para enfrentar a questão. “O Brasil hoje figura entre os países mais atingidos por crimes cibernéticos. Isso afeta não só a infraestrutura de segurança pública, mas também empresas”, afirmou.

A Thales, tradicional expositora da LAAD Defence & Security, participou pela primeira vez da LAAD Security realizou encontros com agentes públicos de todo o País, como com os secretários de segurança pública de 17 estados e 21 comandantes e delegados de Polícias Militares e Corpos de Bombeiro. “A feira tem um público dirigido e selecionado, por isso é possível encontrar pessoas com poder decisório. Também nos surpreendeu encontrar representantes do mercado privado, que nos abriram a possibilidade para dois novos negócios”, comemorou o gerente comercial da divisão de Segurança da Thales Brasil, Fábio Fernandes.

Além das soluções tecnológicas, a presença de estandes da Polícia Civil e da Polícia Militar também chamou a atenção do público da LAAD Security 2016. “Foi muito interessante interagir com as as polícias aqui na feira. Foi uma oportunidade de ter contato e conversar com esses profissionais, o que é muito difícil de acontecer quando eles estão na rua em serviço”, afirmou Pablo Castellani, do setor de segurança pública.

Visitação – Para os expositores, o público selecionado da LAAD Security 2016 foi um dos pontos altos do evento. Apesar do momento adverso pelo qual o País passa, a demanda e o interesse nos serviços e produtos oferecidos pelas empresas expositoras da feira superou as expectativas. “Veio um público bastante interessado, que conhecia nossos sistemas, não era visitante típico de feira, que passa só para olhar. O movimento e o volume de pessoas surpreendeu”, afirmou Frederico Bonincontro, diretor de vendas para a América Latina da Cellebrite, fornecedora de tecnologias forenses e investigativas de dados de dispositivos móveis.

Para a Saab, empresa que oferece soluções de inteligência e em segurança pública e civil, a sensação não foi diferente. “Estamos muito satisfeitos, o evento foi bastante movimentado e, além da presença de agentes de organizações de segurança pública do Brasil, tivemos também visitantes de outros países, o que não esperávamos. Pudemos identificar algumas oportunidades de negócio e temos boas perspectivas no Brasil e fora dele”, comemorou Frederik Hillbom, diretor de vendas da empresa.

“O que nos impressionou nesta edição da LAAD Security foi a qualificação e o conhecimento técnico da visitação. Fomos visitados por profissionais com poder de decisão e demos inicio a conversas que têm grande potencial de evoluírem”, disse o gerente comercial da AVIBRAS, que levou para a feira a nova viatura Guara 4WS, desenvolvida integralmente pela empresa. Com capacidade para cinco tripulantes, a viatura tem elevado nível de proteção e agilidade e extrema mobilidade com tração 4×4 e direção nas quatro rodas. O veículo pode ser empregado em operações especiais de forças de segurança em área urbana, mas devido à sua versatilidade pode também ser aplicada a ambientes rurais.

A VMI Sistemas de Segurança também ficou satisfeita com o resultado da feira. “Nosso público alvo está aqui e fizemos bons contatos. Muita gente já conhecia nosso produto, mas ainda não tinha tido oportunidade de ver de perto. Trouxemos dois equipamentos desenvolvidos para uso por IMLs e geramos demanda para um deles, o Flatscan”, contou Jonatas Leite, diretor executivo da VMI. Outra que saiu da LAAD com negócios em vista foi a Hexagon, empresa que fornece tecnologias da informação. “Participamos de reunião do Conselho Nacional de Comandantes Gerais – CNCG, o que foi muito importante para falar diretamente com comandantes de diferentes estados. Viemos para tentar fazer negócios e gerar demanda, e a gente conseguiu isso”, explicou Douglas Piller, gerente comercial da empresa.

Para algumas participantes, a LAAD Security 2016 possibilitou o fechamento de contratos durante o próprio evento e gerou oportunidades de venda para outros países. “O saldo foi bem positivo. Conseguimos ótimos contatos para exportação e fechamos aqui, no próprio estande, a entrega de equipamentos para um novo cliente, de um país da América Latina”, revelou Luciana Ferraz, supervisora comercial da Flash Engenharia, empresa de sinalizadores visuais.

Outro expositor que fechou contrato de fornecimento para outros países foi a Condor, empresa brasileira de tecnologias não-letais que acaba de completar 30 anos de existência. “Ficamos surpresos pela qualidade do público e o movimento, por conta do momento atual no Brasil e o mundo. E surgiram dois grandes negócios internacionais que não estávamos esperando”, celebrou o fundador e presidente do conselho da Condor, Carlos Erane de Aguiar.

Preocupados em incrementar seus sistemas de segurança, representantes de prefeituras também marcaram presença na feira. O assessor especial de políticas públicas da prefeitura de Belfort Roxo, Carlos Pinheiro, compareceu ao segundo dia do evento em busca de serviços de câmera de vigilância. “Estamos montando um centro e controle operacional na cidade e estou aqui em busca das melhores soluções de equipamento, especialmente câmeras de vigilância”, contou.

O gestor comercial da Forbin – Academia de Formação de Vigilantes, Flavio Cesar Silva de Freitas, veio em busca de inovação e tecnologia na área de segurança. “Quero levar esse conhecimento para a academia e compartilhar com os novos vigilantes que estão entrando no mercado. Chamou-me à atenção a quantidade de ofertas de soluções de interface e de inteligência”, afirmou.

A funcionária da Caixa Econômica e aluna da Escola Superior de Guerra (ESG), Andréa Franco, também buscava ideias que pudessem ser aplicadas pelo departamento em que trabalha e saiu do evento satisfeita, contou.

Seminário – Paralelamente a feira também foi realizado o V Seminário de Segurança LAAD, evento dividido em três módulos. No primeiro, sobre o Panorama Geral de Segurança, foram abordados temas como “Gerenciamento de Crises, Grandes Eventos e Aglomerações” e “Estratégias de Cyber Security e Guerra da Informação”.

O assessor do Gabinete Militar do Governo do Rio de Janeiro, coronel Frederico Caldas, o superintendente para Grandes Eventos da Secretaria de Estado de Defesa Civil e Corpo de Bombeiros Militar do Rio de Janeiro, coronel Wanius de Amorim, e o gerente geral de Integração e Segurança das Instalações do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, falaram da importância do planejamento, da análise de riscos e da integração do poder público e de diferentes forças para uma boa implementação e execução de um plano de segurança de eventos de grande porte. “Nenhuma instituição sozinha é capaz de dar conta de um grande evento. A integração é chave fundamental”, defendeu Caldas.

O temário do segundo módulo, de Segurança Pública, teve palestras como “Ações da SEDEC/RJ para Redução dos Riscos de Desastres” e “Terrorismo Internacional: Questões de Interesse para o Brasil e para as Olimpíadas Rio 2016”, além de um painel com os Comandantes da PM de vários Estados. A apresentação do coordenador do Instituto de Pesquisa de Economia Aplicada – Ipea, Helder Ferreira sobre “Violência e segurança pública em 2023: cenários exploratórios e planejamento prospectivo”, baseada em estudo publicado ano passado sobre violência no país foi um pontos altos do evento.

O Secretário Adjunto de Segurança Pública do Acre, Ricardo Brandão, esteve presente à palestra e elogiou a apresentação. “Foi muito ilustrativo para que polícias e secretarias de segurança pública possam pensar políticas públicas a partir de estudos como esse”, defendeu.

A LAAD abriu espaço também no temário de Segurança Pública para um painel com os Comandantes da PM de vários estados do país. O encontro contou com a presença do Comandante Geral da Polícia Militar do Estado de São Paulo, Ricardo Gambaroni; do Coronel da Polícia Militar e Comandante Geral da Polícia Militar do estado do Rio de Janeiro, Edison Duarte dos Santos Junior; Coronel da Polícia Militar e Comandante Geral da Polícia Militar do Espírito Santo, Marco Antônio Nascimento e do Coronel da Polícia Militar e Comandante Geral da Polícia Militar da Bahia, Anselmo Brandão.

No último dia, durante o módulo de Segurança Corporativa, o público conferiu a palestra “Itaipu binacional: um modelo singular de segurança de infraestrutura elétrica crítica”, ministrada pelo Superintendente de Segurança Empresarial de Itaipu, o Coronel Rogel Abib Zattar.

“Trabalho na área de segurança corporativa e hoje foi um dos dias mais interessantes do seminário. Foi curioso perceber na palestra que em Angra temos os mesmos procedimentos e enfrentamos as mesmas dificuldades de segurança de áreas estratégicas”, avalia o supervisor de proteção física da Central Nuclear de Angra, Gilberto Abreu, que assistiu à apresentação sobre Itaipu.

A parte da tarde trouxe dois debates importantes. O primeiro foi o painel “Prevenção a fraude e integração entre áreas nas grandes empresas”, com o diretor de Safety & Security no Brasil da Laureate International Universities, Flavio Ainbinder, que analisou a necessidade de as corporações implementarem programas de prevenção e combate a fraudes. “Precisamos conscientizar as empresas sobre a importância dessa área. A ética e a prevenção deveriam fazer parte do cotidiano das corporações. Para isso, é imprescindível focar na profissionalização e buscar gente com domínio de processos e procedimentos da área, pois não há mais espaço para amadorismo”, defendeu Ainbinder.

Na sequência, o Subcomandante do 9º Batalhão da PM do Espírito Santo, o Major Marsuel Botelho Riani, falou sobre “Uso de técnicas não-letais em segurança corporativa (terceirizada e orgânica)”, detalhando a legislação atual sobre o assunto, além de exemplificar que tipo de equipamentos são permitidos e como atuar de maneira adequada. Presente na plateia, o agente de segurança do Paraná, Nandro Cunha, afirmou que a experiência foi positiva. “Na área em que atuo, procuramos nos manter atualizados, então é bom ter conhecimento das novas tecnologias, que são pertinentes no controle de população carcerária”, avaliou.

Fechando a programação, os congressistas conferiram ainda apresentações sobre controle e regulação pública de segurança privada, processo de certificação para gestão de riscos e segurança da informação, interface entre segurança corporativa e da informação em ações anticorrupção, e prevenção e monitoramento de danos à propriedade privada.

Delegações – A LAAD Security 2016 promoveu a visita das delegações da Argentina, Chile, Colômbia, Equador, Guatemala, Nicarágua, Uruguai e República Dominicana para que pudessem conhecer as principais tecnologias e tendências em estratégias de segurança pública.

Para o Coronel de Infantaria da Guatemala, Julio Alberto Sousa Lainfiesta, a LAAD Security tem sido uma oportunidade única de conhecer tecnologias com as quais ainda não tinha tido contato. “Estou me atualizando sobre as mais modernas tecnologias de segurança e assistência. Conheci alguns equipamentos pela primeira vez, como um escâner 3D e um bloqueador de sinal de celular que permite impedir a atuação de criminosos, ao mesmo tempo em que as equipes de segurança mantêm a comunicação entre si”, contou.

Na mesma linha de raciocínio, o General Alfredo Lagos, da Carabineros de Chile avalia: “este evento é fundamental porque promove a interação de países com realidades muito similares em termos de segurança”, disse. “Esta troca de experiências e de conhecimentos enriquece sobremaneira, porque além da tecnologia que está sendo apresentada aqui, temos a oportunidade de fundamentar nosso conhecimento com modelos de operações de sucesso. A LAAD Security nos permite trabalhar de forma cooperativa, o que é fundamental para a América Latina”, avaliou.

LIGABOM – “As reuniões do Conselho Nacional dos Corpos de Bombeiros do Brasil – LIGABOM realizadas nos três dias da LAAD Security contaram com grande adesão dos conselheiros, o que enriqueceu muito o encontro”. A avaliação foi feita pelo o Coronel Carlos Helbinger Junior, Comandante Geral dos Corpos de Bombeiros Militares do Estado de Goiás e presidente da entidade que considerou a estrutura logística oferecida pela equipe organizadora da LAAD determinante para o êxito dos encontros.

O comandante enfatizou que as reuniões organizadas pelo conselho são extremamente produtivas pois promovem a integração entre as diferentes realidades vividas pelos bombeiros militares em todo o país. “Ao interagir podemos adaptar soluções encontradas por um estado em outras partes do país. Além disso, estar em eventos como a LAAD Security nos permite entrar em contato com o que há de mais moderno em equipamentos e tecnologias para a nossa operação.

LAAD 2018 – Embora o mercado de segurança pública e corporativa tenha um novo encontro marcado no Rio de Janeiro, de 4 a 7 de abril de 2017, durante a LAAD Defence & Security, a cidade de São Paulo será a sede da quarta edição da LAAD Security. O evento acontecerá de 24 a 26 de abril de 2018 no São Paulo Expo, que é um dos mais modernos pavilhões de exposições do país.

Como os setores de Segurança Pública e Corporativa também estão contemplados no evento maior – a LAAD Defence & Secutity, que acontece em anos ímpares -, a Clarion Events optou por realizar a LAAD Security na capital de São Paulo, estado que responde pelo maior orçamento de Segurança Pública do País, com 24,8 bilhões previstos para serem aplicados este ano em áreas como policiamento, defesa civil, informação e inteligência.

O Estado conta ainda com a maior força policial do Brasil e uma das maiores do mundo, empregando um efetivo de mais de 138 mil policiais nas áreas militar, civil e científica. Nos municípios, as perspectivas para as empresas que oferecem soluções em segurança também são positivas. Atualmente, 211 cidades paulistas concentram um efetivo de 28 mil guardas civis, que impactam positivamente o setor, visto que as prefeituras investem na busca por novidades e compra de equipamentos modernos para a proteção do patrimônio público.

“O cenário para o segmento de segurança corporativa é promissor no Estado, que concentra 32,1 % do PIB, quase um terço da riqueza nacional, e tem o maior número de empreendimentos, com cerca de 4 milhões de empresas, equivalente a 29.3% do total no Brasil”, conclui Sergio Jardim, diretor geral da Clarion Events Brasil, organizadora da LAAD Security.

Sobre a LAAD Security
A LAAD Security – Feira Internacional de Segurança Pública e Corporativa – reúne empresas nacionais e internacionais que fornecem tecnologias, equipamentos e serviços para Segurança Pública, Forças Policiais, Forças Especiais, Forças Armadas, Law Enforcement, Homeland Security e gestão de segurança de grandes corporações, concessionárias de serviços e infraestrutura crítica do Brasil e América Latina. O evento reuniu mais de 100 marcas apresentando soluções em autenticação, controle de acesso e vigilância; emergência, salvamento e resgate; equipamentos pessoais e táticos; cyber security; ópticos e optrônicos; munição e armamento; perícia criminal e forense; transmissão e comunicação; veículos; entre outras.

Clarion Events
Por mais de 65 anos, a Clarion Events dedica-se à promoção e organização de feiras de negócios, eventos e congressos. Reúne aproximadamente 700 mil pessoas e 12 mil expositores e patrocinadores em mais de 200 eventos realizados ao redor do mundo. A Clarion Events tem presença global – atua em 12 escritórios em 9 países diferentes e está no Brasil desde 2008.

Contatos da Assessoria de Imprensa

Assessoria de Imprensa – LAAD Security – Feira Internacional de Segurança Pública e Corporativa
Conteúdo Empresarial – Comunicação Integrada
11 – 3230-7434 / 13 – 3304.7437 – 3304.7438

Atendimento à Imprensa:
Alessandro Padin
alessandro@conteudoempresarial.com.br
13 – 99111.0663
SKYPE: alessandro_padin

Valeria Bursztein
valeria@conteudoempresarial.com.br
11 – 99104-2031
SKYPE: vbursztein

Publicado em 14/04/2016